USO DE METODOLOGIAS ATIVAS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA: RELATO DE CASO SOBRE ATIVIDADES REALIZADAS NO IFTO - CAMPUS ARAGUATINS

Conteúdo do artigo principal

Matheus Batista Barboza Coimbra
Lilian Greice dos Santos Ortiz da Silveira
Bruno Gomes Pereira

Resumo

O presente artigo tem como objetivo apresentar um relato de caso a partir das vivências compartilhadas por docentes de Língua Portuguesa do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), Campus de Araguatins. Na oportunidade, as atividades executadas foram mediadas pelos princípios das Metodologias Ativas, elemento fundamental para a existência dos dados. A Fundamentação Teórica reside nas interfaces entre Pedagogia e Metodologias Ativas a partir, principalmente, dos teóricos Almeida, Geraldini e Valente (2017) e José Moran (2015). A metodologia da pesquisa é um relato de caso realizado na disciplina de Língua Portuguesa nos segundos anos dos Cursos Técnicos em Agropecuária e em Redes do (IFTO), campus Araguatins. Os dados revelam que o processo de ensino e aprendizagem tem se modificado e atualmente confere maior autonomia ao estudante, organizando atividades capazes de motivar o interesse e estimular a participação ativa dos alunos. Tais atividades se encaixam nas metodologias ativas que colocam o discente como protagonista de sua aprendizagem.

Detalhes do artigo

Seção
ARTIGOS
Biografia do Autor

Matheus Batista Barboza Coimbra, do Instituto Federal do Tocantins (IFTO)

Especialista em Libras pela Universidade Cândido Mendes (UCAM) e Especialista em Metodologias do Ensino de Língua Portuguesa pela Faculdade de Paraíso do Norte (FAPAN). Doente do Instituto Federal do Tocantins (IFTO).

Lilian Greice dos Santos Ortiz da Silveira, Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSUL)

Doutoranda em História da Literatura pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Docente do Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSUL).

Bruno Gomes Pereira, IFTO

Doutor em Ensino de Língua e Literatura (ênfase em Estudos Linguísticos) pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Membro da Associação Latino-Americana de Linguística Sistêmico-Funcional (ALSFAL). Docente do Instituto Federal do Tocantins (IFTO).

Referências

ARAÚJO, F. R. M.; DOURADO, J. J.; PEREIRA, B. G. Metodologias Ativas na Educação Infantil: Ludicidade como ferramenta catalisadora. In.: PEREIRA, B. G. et al (orgs). Metodologias Ativas: Ferramentas catalisadoras de práticas docentes. Pará de Minas: VirtualBooks, 2016. p. 30-38.

BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo/SP: HUCITEC, 2006.

BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. São Paulo/SP: HUCITEC, 2003.

BAUMAN, Z. Amor Líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 2004.

BERGMANN, J.; SAMS, A. Sala de Aula Invertida: Uma metodologia de aprendizagem. Rio de Janeiro: LTC, 2016.

MORAN, J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, C. A.; MORALES, O. E. T. (Org.). Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, v. 2. Ponta Grossa: Foca Foto-PROEX/UEPG, 2015. (Coleção Mídias Contemporâneas). Disponível em: Acesso em: 20 ago. 2020.

STREET, B. V. Literacy in the Theory and Practice. Cambridge University Press, 1984.

VALENTE, José Armando; ALMEIDA, Maria Elizabeth; GERALDINI, Alexandra. Metodologias Ativas: das concepções às práticas em distintos níveis de ensino. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 17, n. 52, p. 455-478, abr./jun. 2017

YAMASHITA, N. P. L.; RIBEIRO, A. L. R.; PARTATA, A. K. Match Based Learning: Uma nova proposta de ensino e aprendizagem. In: PEREIRA, B. G.; SILVA, L. S.; SIEDE, R. O. (orgs). Metodologias Ativas na Prática de Ensino: Perspectivas Inovadoras. Pará de Minas: Virtual Books, 2018. p. 27-47.

YIN, R. K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Tradução de Daniel Grassi. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.