CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAIS: QUESTÕES INTRODUTÓRIAS SOBRE SATISFAÇÃO NO TRABALHO

Conteúdo do artigo principal

Marina Ariente Angelocci
Maria José Rebecca Busnardo

Resumo

Cada dia que passa as empresas estão ficando preocupadas com o bem-estar das pessoas. O objetivo deste artigo é fazer algumas considerações capazes de mensurar esse grau de satisfação que tanto contribui para o sucesso de uma empresa. A Fundamentação Teórica está no escopo de estudos que versam sobre Administração de Empresas, Clima e Cultura Organizacionais. A pesquisa é de campo, por meio da qual obtivemos os dados analisados. Os resultados revelam que, para as empresas conseguirem conquistar bons resultados, é preciso oferecer algum diferencial além da remuneração para manter os colaboradores comprometidos. É importante investir em atividades que visem a melhoria da qualidade de vida dos funcionários e atitudes que busquem o aperfeiçoamento do ambiente de trabalho.

Detalhes do artigo

Seção
ARTIGOS
Biografia do Autor

Marina Ariente Angelocci, Universitário Anhanguera Pitágoras AMPLI e Faculdade de Santa Bárbara D’Oeste (FSB/UNIESP)

Doutora em Administração pela Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Docente e Coordenadora do Curso de Pedagogia, do Curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos e Logística do Centro Universitário Anhanguera Pitágoras AMPLI. Docente da Faculdade de Santa Bárbara D’Oeste (FSB/UNIESP).

Maria José Rebecca Busnardo, Santa Bárbara D´Oeste (FSB/UNIESP)

Mestra em Educação pelo Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL). Docente e Coordenadora do curso de Pedagogia da Faculdade de Santa Bárbara D´Oeste (FSB/UNIESP).

Referências

CHIAVENATO, I. Introdução à Teoria Geral da Administração. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: O novo papel dos recursos humanos nas organizações. 3ª. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas: O novo papel dos recursos humanos nas organizações. 9ª Tiragem. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

CODA, R. Psicodinâmica da Vida Organizacional: motivação e liderança. 2 ed. São Paulo: Atlas, 1998.

HERZBERG, F. Novamente: Como se faz para motivar funcionários. In: BERGAMINI, C.W; CODA, R. (Org), Psicodinâmica da vida organizacional. São Paulo: Atlas, 1997.

KAHALE, F. Pesquisando a Motivação: A Pesquisa de Clima Organizacional. Instituto MVC, disponível em http://www.institutomvc.com.br/clima.htm. Acessado em: 31 de março de 2003.

KATZELL, R. A.; THOMPSON, D. E. Work motivation: Theory and practice. American Psychologist, v. 45, n. 2, p. 144153, 1990.

MASLOW, A. H. Uma teoria da motivação humana. In: BALCÃO, Y. F; CORDEIRO, l. L. L. (org). O comportamento humano na empresa. Rio de janeiro: FGV, 1971.

MAXIMIANO, A. C. A. Introdução à Administração. 7ª. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MAXIMIANO, A. C. A. Teoria Geral da Administração: Da revolução urbana à revolução digital. 6ª. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MELLO, Á. Como Aplicar uma Pesquisa de Clima Organizacional? Grupo Catho, disponívelem<http://www.catho.com.br/estilorh>.Acessado em: 02 de junho de 2003.

RIZZATTI, G. Categoria de análise de clima organizacional em universidades brasileiras. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós-Graduação em engenharia de Produção, UFSC, Florianópolis, 2002.

ROBBINS, S. P. Comportamento Organizacional. São Paulo: Prentice hall, 2002.

ROBBINS, S. P.; JUDGE; T. A.; SOBRAL, F. Comportamento Organizacional. 14ª. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

TORO, F. Clima organizacional y expectativas enla perspectiva del cambio. Revista lnteramericana de Psicologia Ocupacional. Medellín. v.11. n.1 e 2. 1992. pp.163-173.